Pesquisar este blog

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Ser Pastor É...QUALIFICAÇÕES

O pastorado tem qualificações mais claras e padrões do que qualquer outra profissão que se possa imaginar. Primeira Timóteo 3: 2-7 e Tito 1: 6-9 dar detalhes sobre esses padrões e qualificações pastorais. Aqui está um resumo:
  • Acima de qualquer suspeita (1 Tim 3:. 2; Tt 1: 6)
  • O marido de uma mulher (1 Tim. 3: 2; Tt 1: 6)
  • Sóbrio (1 Tim. 3: 2; Tt 1: 8)
  • A auto-controlada (1 Tim. 3: 2; Tt 1: 8)
  • Respeitável (1 Tim. 3: 2; Tt 1: 8)
  • Hospitaleiro (1 Tim. 3: 2; Tt 1: 8)
  • Capaz de ensinar (1 Tim. 3: 2)
  • Não seja dado a bebida (1 Tim. 3: 3; Tito 1: 7)
  • Não violento (1 Tim. 3: 3; Tito 1: 7)
  • Gentil (1 Tim. 3: 3)
  • Não briguento (1 Tim. 3: 3)
  • Não seja ganancioso (. 1 Tim 3: 3; Tito 1: 7)
  • Governe bem seu lar (1 Tim. 3: 4; Tito 1: 6)
  • Mantém filhos submissos (1 Tim. 3: 4; Tito 1: 6)
  • Não seja um novo convertido (1 Tim. 3: 6)
  • Bem visto por pessoas de fora (1 Tim. 3: 7)
  • Não arrogante (1 Tim. 3: 6; Tito 1: 7)
  • Não irascível (Tito 1: 7)
  • Um amante do Bem (Tito 1: 8)
  • Santo (Tito 1: 8)
  • Mantém-se firme à Palavra de confiança como ensinado (Tito 1: 9)
Esta lista identifica competências-chave, comportamentos, presentes e traços de caráter que um pastor deve possuir. Atender a essas normas não significa um pastor "chegou" como um cristão. Em vez disso, eles indicam que ele está "chegando". A formação pastoral ainda necessitará de uma formação teológica, experiência de vida, experiência ministerial, etc. 
Notem também que, todas as qualificações relacionam com a santidade. Este é um componente vital para qualquer pastor, porque isso significa que ele tem sido justificada pela graça mediante a fé em Cristo Jesus. Ele é um pecador feitos justos em Cristo. Seu crescimento contínuo em Cristo é um exemplo para a congregação.
Algumas habilidades e até mesmo dons, talentos naturais podem ser interpretadas como um "sinal" de que alguém tenha um chamado Pastoral. Mas temos que ter muito cuidado com isso. O fato de alguém saber falar em público, ter presença de palco, saber usar as palavras e fazer lindas pregações, não tornam esta pessoa um Pastor. Se assim fosse, sairíamos contratando vendedores, locutores e palestrantes de marketing para trabalhar na igreja. Fora os requisitos descritos no esboço acima, tem muito Amor, Fé, Renúncia, Obediência, envolvida nisso. Hoje, muitos querem holofotes, querem aplausos, destaque, querem benefícios, status, uma profissão. Por isso, os que são pastores, devem acatar o conselho de Paulo a Timóteo:"A ninguém imponhas as mãos precipitadamente".            I Tm.5:22
É claro que não posso deixar de mencionar algo também descrito na epístola de Timóteo: "Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários, os Pastores/Presbíteros que presidem bem"(I Tm. 5:17); e "O Trabalho é digno de seu salário"(I Tm.5:18) .  Outra: "Não aceite denúncia contra Pastor/Presbítero, senão, exclusivamente sob depoimento de duas ou três testemunhas"(I Tm.5:19)
As qualificações para um pastor servem para 1) honra Cristo, 2) manter um nível de competência dentro de liderança da igreja e 3) proteger a confiança da congregação. Enquanto a "liberdade de expressão" pode não se aplicar ao pastorado, as qualificações do papel proteger a integridade e reputação de uma mensagem maior: a liberdade em Cristo.
Talvez você esteja pensando: "Uau, o pastoreio não é para todos!" Eu acho que o apóstolo Paulo, que escreveu 1 Timóteo e Tito, responderia: "Exatamente."

Ser Pastor É... CUIDAR DE SI MESMO.

A vida neste mundo caído é difícil. A preparação é difícil. A mudança é difícil. É fácil ficar desanimado. É fácil sentir-se oprimido. Mesmo no ministério, é fácil ficar triste, sentir-se frustrado, pensar em desistir. É fácil um pastor sentir-se sozinho. É fácil pensar que ninguém entende o que você está passando. É tentador pensar como Moisés, achando que Deus deve ter errado o endereço, que este chamado poderia ter errado de porta, afinal, as vezes parece que as coisas não andam, não mudam. É fácil olhar por cima do muro e ceder a debilitante inveja, vendo o que Deus está fazendo na igreja vizinha. É fácil deixar de os hábitos espirituais pessoais dos bons e piedosos. É fácil, no final de um longo dia de trabalho ministerial, ser tentado a distrair-se com qualquer prazer temporário que encontra-se dentro do seu alcance. É fácil enganar-se sobre a necessidade de mudar, de crescer em santidade. É fácil no ministério se perder o seu caminho e desistir. Mas é importante que você se lembre que sua vida depois da queda, do abandono, da apostasia, não trará alívio no peso carregado, tranquilidade ou paz. Só o serviço se vai, pois: "Porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis" (Romanos 11:29), ou seja, Vai ter que prestar conta do mesmo jeito, sem contar que sua consciência o acusará dia e noite, somado aos ataques do inimigo para te destruir e obstruir seu caminho ao ponto de você não conseguir voltar mais. As vidas escandalizadas e perdidas neste processo com certeza serão creditadas a sua conta. 
É por isso que Deus criou-nos a viver com os outros em comunidade, na Igreja. Quando eu li 1 Pedro 1, estou sempre impressionado pela forma como Deus colocou um chamado ao amor, no final de uma discussão de dificuldades. Como Pedro resume o que Deus está fazendo aqui e agora, ele usa três palavras: ". Sofrem, tristeza e julgamento" Nenhum de nós queremos essas coisas! Mas Pedro nos lembra que estas são ferramentas de lapidação nas mãos de Deus, em uma intenção amorosa de Nosso Redentor sobre a obra que Ele começou em nós. Em seguida, Pedro começa a ensinar como viver de forma produtiva no meio dessas dificuldades. 
Ouça a sua diretiva final: "Purificado as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos uns aos outros ardentemente, com coração puro." (1 Pedro 1:22). Pedro está dizendo algo muito poderoso aqui. Deus não está simplesmente nos chamando a suportar o fogo da purificação para a santificação. Ele está nos ordenando a encarnar seu amor pela Igreja, que foi colocada em nossas mãos, por quem Ele deu sua vida. 
A Igreja serve para confortar a pessoa que está desanimada, para fortalecer a pessoa que está fraca, para encorajar a pessoa que perdeu a esperança; para vir junto da pessoa que está sozinha, para orientar a pessoa que se perdeu no caminho, para dar sabedoria a pessoa que perdeu sua sensatez, para dar olhos a pessoa que está cega espiritualmente, e isso inclui a nós Pastores. Sim! Quantos de nós, muitas vezes, não entramos desanimados, abatidos, tristes na igreja para o serviço ministerial e acabamos saindo de lá fortalecidos, revigorados e alegres! 
Ser pastor é mais do que pregar sermões, conceitos, preparar campanhas, fazer a programação dos cultos; é CONHECER A NECESSIDADE DAS OVELHAS E ENTENDER QUE UMA DESTAS NECESSIDADES É SEU BEM-ESTAR, É SUA INTEGRIDADE FÍSICA E ESPIRITUAL, É LEMBRAR QUE SUA SAÚDE ESPIRITUAL AFETA DIRETAMENTE NA VIDA ESPIRITUAL DA IGREJA. É saber que você precisa da Igreja, tanto quanto ela precisa de você! Lembrar que você ocupa um lugar importante na Casa de Deus, que a obra terrena necessita de seu serviço e sua dedicação, mas que sem as condições necessárias, você pode por tudo a perder. E não espere que alguém venha te dizer isso, te valorizar, pois na cabeça de muitos, nós pastores não somos humanos, somos indestrutíveis, infalíveis; sempre estaremos lá quando eles precisarem, como um robô com bateria de carga infinita. São poucas as pessoas que dentro do ministério vão se importar realmente com você pelo cuidado com a Igreja. Alguns vão te bajular, vão parecer se compadecer de você, mas é bem provável que a metade destes tem outros interesses. Desculpe, mas tenho que ser sincero, OVELHAS NÃO FORAM CRIADAS PARA CUIDAR DE PASTORES, PASTORES FORAM ESCOLHIDOS PARA CUIDAREM DE OVELHAS! ELAS VÃO TE DAR LÃ, CARNE, LEITE, ETC. MAS É VOCÊ QUE TEM IR PEGAR, É VOCÊ QUEM TEM QUE DIZER O QUE QUER. NÃO AS CULPE POR ISSO. 
O quero te dizer é que ficar esperando com que alguém vá dizer para você se cuidar, se tratar, melhorar, se fortalecer; é um erro. VOCÊ DEVE SER TÃO RESPONSÁVEL POR SUA VIDA ESPIRITUAL QUANTO É DOS OUTROS. POIS PASTOR QUE NÃO CUIDA DE SI, JÁ ESTÁ REPROVADO PARA CUIDAR DE OUTROS. Não quero ofendê-lo amigo, mas tenho que ser direto com você. Estou escrevendo para seu bem. Você sabe que não está bem, e vai ficar empurrando com a barriga até quando? Qual foi a última vez que você foi passear com a família? Qual último seminário que você participou? Qual último culto que você sentou e ouviu a palavra como um mero ouvinte? Já aprendeu delegar funções? A dizer não? A administrar melhor seu tempo? Aprendeu que não é a quantidade de cultos mas a QUALIDADE dos cultos que fazem a diferença para o rebanho? 
Ei, por favor, tem uma família, uma igreja, um ministério, um chamado sob seus cuidados. Pense: "Pois, de que adianta uma pessoa ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?" Marcos 8:36. Reaja! Existem propriedades as quais você está deixando de lado. eu quero te ajudar. Vim te alertar. Vamos, determine um tempo de mudanças, tudo pode ser diferente daqui por diante, basta você reconhecer o fato que tem muita coisa errada e procurar ajuda. Você tem muito para vivenciar ainda! grandes coisas estão por vir! Acredite!! Deus é contigo!! 
Grande abraço!! 

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Ser Pastor É... Viver Para Deus!

O pastor é único na vida de uma igreja. Ele é o sub-pastor que carrega o fardo da liderança. Alguns pastores se sentem compelidos a agradar as pessoas, mas um pastor sincero é sempre sob a pressão de agradar ao Senhor.
Poucos membros da igreja entendem o intenso desejo do seu pastor em agradar a Deus! Mas pense o quanto os fardos pesam sobre um pastor de Deus! Quantas são as responsabilidades! O pastor tem a responsabilidade de cuidar de si mesmo, sua família e sua igreja!
Robert Murray M'Cheyne era um pastor e pregador escocês no início do século XIX. Ele deu a sua vida ao serviço de Cristo, mas com a idade de vinte e nove anos que ele faleceu em uma epidemia de tifo. Em seu leito de morte, ele disse: "Deus me deu um cavalo e uma mensagem. Eu matei o cavalo e eu já não posso entregar a mensagem. "M'Cheyne sentiu uma tristeza, não pela perda de sua própria vida, mas a perda da oportunidade de pregar o Evangelho. Ele levou um coração de serviço e profundo desejo de ensinar a Palavra de Deus para os outros. Este é o coração de um pastor.
Hoje, os riscos envolvidos com o chamado do pastoral estão aumentando. Estudos têm demonstrado que a maioria dos pastores enfrentam altos níveis de estresse, o trabalho de mais de sessenta horas por semana, e as lutas contra a depressão, desgastes, fadigas... Mas sempre houve riscos vinculados à pregação e o estudo sobre a vida do apóstolo Paulo nos mostra isso.
Mas cada pastor sincero, verdadeiro, estaria disposto a dar a sua vida se isso for significante para cumprir o seu chamado em Deus. Apesar dos riscos, as estatísticas e as expectativas, os pastores desejam agradar a Deus! 
Mas vejamos quais são alguns dos encargos de um pastor enfrenta; o que se passa através do coração e mente de um pastor verdadeiramente chamado por Deus:  
Um amor profundo por A PALAVRA DE DEUS
Um pastor pensa de forma diferente quando lê a Bíblia. O membro médio de uma igreja vai ler a Bíblia devocional. Alguns vão aprofundar a sua leitura com o estudo intenso. Mas o pastor centra sua vida em todo o ministério na Palavra. Se um pastor não gosta de mergulhar nas Escrituras, ele precisa ter seu coração marcado. Uma de suas tarefas é a pregação da Palavra de Deus e a preparação dos sermões.
É por isso que os primeiros diáconos foram chamados em Atos 6. Os apóstolos viram as necessidades das viúvas, mas sabia que não era adequada para se afastar do ministério da oração e da Palavra de conhecer-se a essas necessidades. Eles descobriram que os servos-diáconos-piedosos poderia atender algumas necessidades importantes, enquanto os apóstolos continuaram a sua estudo.
Um pastor estuda a Bíblia como um website. Em cada página são links para outras páginas relacionadas. Curiosidade natural leva o leitor a uma rede de informações sobre qualquer tópico de escolha. Um pastor vai olhar para as Escrituras da mesma forma!  Os versos estão ligados entre si com outros versos! Com uma paixão para a verdade, um pastor seguirá uma cadeia de referências para entender o "conselho de Deus." Pregação é a comunicação, e a Palavra de Deus é a mensagem principal. O cristão comum pode não entender completamente a Bíblia, por isso o trabalho do pastor é explicá-lo.
ORAÇÃO PARA PODER
Um pastor prepara seus sermões por meio de estudo intenso, mas ele sabe que o poder na apresentação vem do Espírito Santo. Se um pastor não consegue orar fervorosamente, ele se afasta de sua maior fonte de poder no ministério!
Deus dá a sua visão para a igreja através do pastor ao longo do tempo em que ele está em oração. É imperativo que um pastor tenha um  tempo estendido para a oração fervorosa.
PREPARAÇÃO CONSTANTE
Junto com a oração contínua e estudo da Bíblia, um pastor está sempre à procura de exemplos de vida nos princípios bíblicos. Ele pode encontrar um “pensamento semente” em uma simples conversa! Mesmo quando ele encontra um estranho em um avião, umas centelhas de verdades podem surgir a partir dessa conversa. Se o pastor está andando com Deus, o Espírito Santo vai lhe dizer: "Use-o para ensinar as pessoas sobre mim."
Jesus estava sempre usando circunstâncias cotidianas para ensinar a verdade. Um dia Jesus colocou uma criança no colo, apenas como alguém que amava as crianças. Mas os discípulos tentaram espantar as crianças mandando-as embora. Eles viram os pequenos como um aborrecimento. Jesus usou esta oportunidade para ensinar aos discípulos sobre a confiança de uma criança. O pastor busca a verdade em pequenos eventos! Tudo é uma ilustração da Palavra de Deus! Ele nunca sabe quando um novo sermão pode vir junto!
Treinar outros
A preparação constante para a pregação é em sua parte central no encargo do pastor para treinar outros. Ele tem um desejo de transferir o conhecimento da Palavra de Deus para a próxima geração. Isso é feito em muitos níveis. Alguns pastores treinam através da escola dominical, alguns treinam equipes de liderança de seu ministério no próprio escritório ou na pregação de cada culto. 
O pastor é responsável pela formação de outros, através de seu ensinamento e exemplo. As pessoas aprendem tanto a partir de um modelo e o mais próximo deles, sem dúvida é o pastor. Grandes ensinos podem levar um contagiante e fervoroso aluno realizar grandes obras em sua vida.
O PESO DAS FINANÇAS
É importante para a igreja para cuidar de seu pastor e sua família, porque ele carrega o fardo financeiro da igreja. Todos os olhos estão voltados para o pastor para liderar financeiramente a obra. Ele sabe que, se as finanças vão mal, ele vai ser aquele que será responsabilizado. A igreja pode contratar contadores e gerentes de negócios para controlar as finanças, mas ninguém sente a pressão, como o pastor. 
Uma das melhores maneiras de uma igreja pode ajudar seu pastor é a de atender às necessidades de sua família. Alguns pastores lutam com suas finanças pessoais e podem tirar proveito da generosidade da igreja, mas a maioria está disposto a dar tudo o que têm para a vida e ministério de finanças. Nas igrejas mais independentes, o pastor é um dos principais doadores. 
Tempo Para ele...
Um pastor quer produzir para o Senhor, desde que ele pode. Ele tem o ônus de ficar fatigado fisicamente, mentalmente e espiritualmente. Houve homens que pregavam com problemas de saúde tremendos, mas um pastor deve manter-se saudável para sua família e igreja.
Tempo com Deus é vital para a saúde espiritual de um pastor. Um pastor nunca quer caminhar para um púlpito sentindo que ele não está certo com o Deus. Ele pode não ter cometido algum pecado perverso, mas ele não quer nada entre ele e Deus. A responsabilidade de pregar é muito grande! Quando ele pisa atrás do púlpito, a congregação pensa: "Traga Jesus para nós! Retire o pão quente que saiu direito do forno!"

Pastores são apenas pessoas, são todos os homens e mulheres de carne e osso, mas eles querem muito a ser preenchidos com o poder de Deus! Muito poucos pastores sentem que estão à altura da tarefa, mas eles têm um desejo sincero de servir fielmente a Deus.
Forte Abraço!  Pr. Seiji Kikuti